Pág. 52

* O Ultimo Solo de Blues (gravura)

Não era este o caminho.

A certeza vinha dos muros, nenhum exalava a melodia esperada.
Eram mudos. Tentaria outro túnel. Tentaria…mais tarde.
Ouviu o lamento grave e profundo do navio ao largo, anunciando que zarparia rumo a algum ponto perdido no oceano.
Pouco importa, pensou.
O corpo ao seu lado, inerte, quem era? Sabia o seu gosto, seu aroma e nada mais.
Tomar um café, fumar um cigarro e sair silenciosamente, sem atrapalhar, sem deixar rastros. Era isso. O ar da noite penetrava, impregnado de mistérios, encantamentos e dúvidas. As esquinas, ruelas, luzes e o
gato que salta-olha para os muros rumo aos telhados.
Tudo envolto na névoa, a névoa amiga e carinhosa.
Que o Sol fosse pro inferno se ousasse aparecer.
O navio ainda lançava em intervalos ritmados seu lamento, envolto na bruma.

Pág. 615

– Então seu nome é Illinka Mojaisky…
– Sim..
– De que província, lembra?
– Norgoskaya.
– E o que faz aqui, tão longe de sua terra?
– Caminho..
– É o que você faz? Caminhar?
– É o que faço.
– Há quanto tempo?
– Não lembro…
– Estes são seus pertences? Por que os carrega?
– …
– Não sabe?
– …

Relatório 27 A / 3255 – 0001 – 33
Do Estado Maior ao Supremo Comando
23 de março de 1955

Indivíduo sem a base da existência.
Encaminhado ao Setor 21.
Pertences confiscados:
Conteúdo anexo.
– 1 guitarra (sem cordas)
– 1 par de calçados
– 2 calças velhas
– 2 camisetas
– 1 capote
– 1 bloco com garatujas e sinais indecifráveis
– 1 maço de cigarros com 6 unidades
– 1 isqueiro Zippo

Pág. 67
Na penumbra estava. Na penumbra era poderoso. Eles não sabiam.
Lembrava vagamente de um lugar, eternamente na penumbra, onde era seguro, aconchegante e tranqüilo. Lembrava dos seres que ali habitavam. Das árvores, dos prédios, pontes e ruas.
Lembrava sempre. Estavam marcadas em sua alma.

Pág 23

Não queria entrar naquela casa. O momento de dúvida. Não queria.
A mulher o recebeu, rosto impreciso, olhar azul-pânico. Ela o conduziu por peças cheirando a mofo e almíscar.

– Cidades que nunca existiram, amores que nunca foram.
Foi o que…

J.Flash

Advertisements

3 thoughts on “Pág. 52

  1. Julio says:

    So. I waited 38 years to reveal … ironic fate.
    But .. I guess you always knew.

    Bezuz

    Like

  2. Julio says:

    Ok. Vou usar teu wordpress, via @mail não houve retorno.

    Keep on rockin.

    Like

  3. Luiz Peixe says:

    I mssed the picture, but the words are correct.

    Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s